compartilhe

Segurança infantil: Chuveiros elétricos

Por Edson Martinho - publicado em 30/05/2018

Com a chegada do outono e depois o inverno, os banhos ficam mais ‘complicados’, pois o frio vem junto e tirar a roupa começa a ser bem difícil, não é mesmo? O que normalmente fazemos é: ligamos o chuveiro com antecedência e deixamos o banheiro esquentando, certo?

Mas, o que não era preocupação durante o verão, agora passa a ser imprescindível, ou seja, a temperatura do chuveiro! E lá vamos nós mudarmos a chave do chuveiro para inverno ou para a temperatura máxima (não é aquele programa da TV).

Na prática o que fazemos é aumentar a potência do chuveiro para que ele esquente mais a água. Começa então uma preocupação, pois subindo a potência, os fios devem suportar mais e se não estiverem corretamente dimensionados, podem aquecer muito danificando o isolamento dos cabos e podendo gerar um curto-circuito.

Outro risco que corremos é com relação à aumentar a potência do chuveiro comprando chuveiros mais potentes. Normalmente, os chuveiros que usávamos tinha em sua potência máxima 5600 Watts, mas de uns tempos para cá, apareceram vários modelos e estes prometem potências que chegam a 7500 Watts.

É claro que ficamos tentados a trocar nossos chuveiros por estes com maior potência, afinal vai esquentar mais rápido e atingir temperaturas maiores, que neste frio vai deixar o banho gostoso. Mas cuidado! Ao substituir o chuveiro, precisamos avaliar a instalação elétrica para ver se a mesma suporta esta nova potência, se os fios estão adequados, se os disjuntores ou fusíveis são compatíveis e adequados, o que vai garantir a segurança de todos na sua casa.

Um chuveiro com potência maior requer um fio mais grosso (maior seção transversal) para suportar toda a corrente elétrica que passará para obter a potência maior, e se substituírmos os fios, o disjuntor ou fusível terão que ser substituídos junto, ou seja, tem que acompanhar a suportabilidade do fio e protegê-lo quando uma sobrecarga ou curto-circuito acontecer.

Mas muito cuidado, NUNCA substitua o disjuntor por um de maior valor sem substituir os fios, ou ter a certeza de que os fios estão adequados para aquele valor que você está instalando. Contrate sempre um profissional habilitado e atualizado para que este lhe oriente sobre os riscos e quais as recomendações estão dispostas nas normas técnicas. Como orientação ele deve usar a norma da ABNT NBR 5410/2004.

Mais informações sobre segurança nas instalações elétricas você encontra no site da Abracopel

Sobre Edson Martinho:
Edson Martinho é Engenheiro Eletricista, diretor-executivo da Abracopel (Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade). Escreveu e publicou o livro “Distúrbios da Energia Elétrica” (Editora Érica, 2009)
Quer receber mais artigos como esse? Cadastre-se e receba nossas novidades em seu e-mail!
Sobre o Edson Martinho:
Edson Martinho é Engenheiro Eletricista, diretor-executivo da Abracopel (Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade). Escreveu e publicou o livro “Distúrbios da Energia Elétrica” (Editora Érica, 2009)
Compartilhar:
Quer falar diretamente com seu público-alvo?
Anuncie aqui!
Nossos canais:
® São Paulo para Crianças é uma marca registrada. Todos os direitos reservados. - desenvolvido por Ideia74
Cadastre-se para ficar por dentro das novidades!