compartilhe
São Paulo
+16...+30° C

Saúde infantil: mochila pesada pode agravar escoliose e cifose

Por Dr. Rogério Vidal de Lima - publicado em 29/03/2017

A volta às aulas é sempre cercada de novidades. São novos amigos, novos professores e até uma nova rotina de vida se o seu filho trocou de escola ou mudou de horário. Mas tem algo que não muda e todo ano preocupa os pais: qual é a mochila mais adequada  para evitar que o filho sinta dores nas costas ou desenvolva algum tipo de problema na coluna por causa do excesso de peso?

Tanta preocupação se justifica, os modelos de mochilas estão cada vez mais sofisticados e tem sempre aquela “mochila da moda” que cai no gosto da meninada. Porém, nem sempre o modelo mais legal é o mais indicado para preservar a coluna deles. E o problema é mais sério do que muitos pais imaginam. É preciso ficar atento porque as mochilas muito pesadas podem agravar lesões pré-existentes nas costas da criança ou do adolescente. É importante dar orientações claras e fazer com que eles sigam a maneira correta de carregar a mochila: manter a coluna o mais ereta possível, não carregar a mochila de um lado só e o limite inferior da mochila deve estar exatamente na altura do quadril.

Essas medidas servem para tentar minimizar os males que o excesso de peso e a má postura podem causar. A sobrecarga na coluna vertebral provoca muita dor e ainda podem gerar uma reação antálgica. É comum ver as crianças andando de forma errada, meio de lado, para compensar o peso e o desconforto que estão sentindo.

O excesso de peso favorece o agravamento de desvios de coluna como a escoliose e a cifose. A escoliose é um desvio da coluna vertebral para a esquerda ou para a direita que forma uma curva em forma de “S”. O problema pode surgir em qualquer fase da vida e as causas podem ser congênitas, degenerativas e idiopáticas, quando não se identifica o motivo do desvio. Nesses casos, a escoliose pode aparecer já na infância ou na adolescência e a observação precoce dos pais é essencial nesses casos.

Existem várias formas de tratamento que levam em conta o grau de desvio da coluna e podem ir desde a observação do paciente até a cirurgia, nos casos mais graves. A faixa etária do paciente, a graduação do desvio e os sintomas apresentados é que determinam a escolha do tratamento da escoliose.

O ideal seria que as escolas disponibilizassem armários evitando o transporte desnecessário de material. O que não fosse ser utilizado naquele dia ficaria em casa. Isso muitas vezes pode corresponder a mais da metade do peso da mochila. Caso a escola não possua esses armários, o recomendado é comprar uma mochila de rodinhas para não que não haja uma sobrecarga na coluna da criança. Aliás, essa é uma dica importante que já vale para os pequeninos que ainda estão no período de alfabetização.

Sobre Dr. Rogério Vidal de Lima:
Especialista em Coluna pelo Hospital das Clínicas – SP, membro da SBOT - Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, membro da Sociedade Brasileira de Patologias da Coluna e ainda da International Affiliate Membership of AAOS – American Academy of  Orthopaedic Surgeons. Acesse: www.rogeriovidal.com.br
Quer receber mais artigos como esse? Cadastre-se e receba nossas novidades em seu e-mail!
Sobre o Dr. Rogério Vidal de Lima:
Especialista em Coluna pelo Hospital das Clínicas – SP, membro da SBOT - Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, membro da Sociedade Brasileira de Patologias da Coluna e ainda da International Affiliate Membership of AAOS – American Academy of  Orthopaedic Surgeons. Acesse: www.rogeriovidal.com.br
Compartilhar:
Quer falar diretamente com seu público-alvo?
Anuncie aqui!
Nossos canais:
® São Paulo para Crianças é uma marca registrada. Todos os direitos reservados. - desenvolvido por Ideia74
Cadastre-se para ficar por dentro das novidades!