compartilhe
São Paulo
+16...+30° C

Série Mesada: saiba quando, como e porque implantar

Por Reinaldo Domingos - publicado em 20/01/2017

O tema é polêmico. Muitos pais se perguntam por que dar mesada, quando começar e como estabelecer o valor. Ao contrário do que muitos pensam, a mesada não é um incentivo ao consumo, e sim uma ferramenta para educar financeiramente as crianças.

Vou explicar melhor: a infância é a fase ideal para desenvolver comportamentos que serão levados por toda a vida, por isso é importante implantar a mesada quando notar que a criança está pedindo dinheiro com frequência e já mostra ter seus primeiros hábitos de consumo. Para isso, a família não precisa ter dinheiro sobrando, deve agir de acordo com a sua situação financeira.

Algo que percebo é que muitos pais acreditam que não dão mesada, mas dão pequenas quantias constantemente aos filhos, de forma não sistematizada. Afinal, é comum que as crianças peçam dinheiro para fazer pequenas compras, como de guloseimas e brinquedos, e isso caracteriza a mesada voluntária. Esta é uma modalidade dentre os 8 tipos de mesada que categorizei em meu livro Mesada não é só dinheiro (Editora DSOP).

E sabe o que todas essas formas de mesada têm em comum? Elas priorizam os sonhos da criança e da família. O ideal é que elas tenham pelo menos três: um a ser realizado em curto prazo (em até um mês), outro de médio prazo (entre três e seis meses) e outro de longo prazo (após seis meses). Ter a conquista dos sonhos como prioridade na lida com o dinheiro é o que levará essa geração a ser menos endividada e inadimplente no futuro.

Detalho abaixo os primeiros 4 tipos de mesada:

  • Mesada voluntária – Como citei, trata-se do primeiro contato com o dinheiro, logo nos primeiros anos de vida. O avô pode dar, a mãe, o tio, tanto faz. Esse dinheiro esporádico se configura quase como um “ritual de passagem”, já que a criança terá a oportunidade de “debutar” financeiramente na infância e entender que o dinheiro – algo “novo” em sua vida – não está disponível a todo momento e por isso deve ser utilizado de forma consciente. A mesada voluntária, quando bem implantada, servirá de alicerce e de motivação para todas as outras mesadas que veremos adiante.
  • Mesada financeira – A mesada financeira é dada para a criança aprender a administrar o dinheiro que ganha. Trata-se de um valor fixo determinado pelos pais ou responsáveis, tendo em vista a necessidade de transição da mesada voluntária para a mesada financeira. Nesse momento, recomendo que 50% do valor seja destinado para a poupança dos sonhos e 50% para as despesas da criança, sempre lembrando que o dinheiro nunca será mais importante que os sonhos.
  • Mesada de terceiros – Acontece quando os avós ou tios dão um presente em dinheiro à criança. O ideal é que ela tenha o desejo de guardar parte do valor recebido, mas se não tiver espontaneamente caberá aos pais explicar que quanto mais dinheiro for reservado para os sonhos, mais rapidamente eles se realizarão. Tal raciocínio será levado para a vida adulta, quando ela receberá “presentes” como o 13º salário, a restituição do imposto de renda, um bônus de férias e a participação nos lucros da empresa, por exemplo.
  • Mesada econômica – Na mesada econômica, os pequenos são incentivados a poupar recursos em casa, como energia elétrica e água, para que realizem seus sonhos com o valor economizado. Assim, mesmo a família que não tem condições de dar mesada em dinheiro, pode educar financeiramente seus filhos com as economias feitas no lar a cada mês. Dessa forma, os pequenos aprendem que economizar recursos é um dos caminhos para realizar seus sonhos.

Além dessas, há as mesadas empreendedora, ecológica, de troca e social. Em nosso próximo encontro, falarei sobre elas. Até breve!

Sobre Reinaldo Domingos:
Reinaldo Domingos é doutor em educação financeira, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira e autor do best-seller Terapia Financeira, do lançamento Diário dos Sonhos e da primeira Coleção Didática de Educação Financeira do Brasil. Domingos é pai do Fabrizzio e da Graziella.
Quer receber mais artigos como esse? Cadastre-se e receba nossas novidades em seu e-mail!
Sobre o Reinaldo Domingos:
Reinaldo Domingos é doutor em educação financeira, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira e autor do best-seller Terapia Financeira, do lançamento Diário dos Sonhos e da primeira Coleção Didática de Educação Financeira do Brasil. Domingos é pai do Fabrizzio e da Graziella.
Compartilhar:
Quer falar diretamente com seu público-alvo?
Anuncie aqui!
Nossos canais:
® São Paulo para Crianças é uma marca registrada. Todos os direitos reservados. - desenvolvido por Ideia74
Cadastre-se para ficar por dentro das novidades!