compartilhe
São Paulo
+16...+30° C
Kumon: hábito de estudo melhora desempenho em matemática, português e inglês
Publicado em 10/12/2016

Procurando uma atividade extracurricular para seu filho que seja divertida, educativa e estimule o aprendizado? Algo que possa ajudar criancas com dificuldade de concentração, que não gostam de estudar ou ler? A dica de hoje é o Kumon, método de estudo e ensino criado no Japão há mais de 50 anos, que tem mais de 4 milhões de alunos no mundo.

Está presente no Brasil há 40 anos, tem mais de 1.450 unidades e uma média de 166 mil alunos. Aqui, oferece as disciplinas de matemática, portuguêsinglês e japonês. Mas não se trata de uma aula particular ou de reforço, mas sim de método de estudo que busca formar alunos autodidatas. O ponto forte do Kumon é desenvolver a habilidade acadêmica, a concentração, a independência, o hábito de estudo e o raciocínio lógico.

Por meio de uma orientação individualizada e um material didático autoinstrutivo, o Kumon visa criar e estimular habilidades básicas de ensino como cálculo, leitura e interpretação. O objetivo é gerar aprendizado sem lacunas, em que os alunos estudem por si só, porém com as dicas necessárias, que são realizadas pelos orientadores das unidades.

O Kumon atende desde crianças em idade pré-escolar (não precisam frequentar escola para fazer Kumon) até adultos. conheça mais sobre o método no site do Kumon, ou procure a unidade Kumon mais próxima da sua casa.

Como surgiu

Em 1954, a mãe de um garoto encontrou um teste de Matemática no bolso dele. O nome do garoto era Takeshi Kumon, e ele cursava o segundo ano do ensino fundamental. Pelo fato de os resultados do teste não serem tão bons como de costume, a mãe consultou o marido sobre o que fazer. O marido, Toru Kumon, era professor de Matemática do ensino médio. Para lidar com a preocupação da mulher, Toru Kumon logo começou a elaborar folhas de exercícios de Matemática para o filho Takeshi. Ele passou por uma série de tentativas e erros ao criar materiais de estudo para que o filho Takeshi fosse capaz de estudar confortavelmente a cada dia e desenvolver continuamente suas habilidades.

Com base em sua experiência como professor do ensino médio, Toru Kumon sabia que muitos estudantes tinham problemas no estudo da Matemática por causa de insuficiente habilidade de cálculo. Portanto, ele se concentrou no desenvolvimento da habilidade de cálculo de Takeshi, e para tanto criou materiais que tornaram possível o filho aprender de forma independente.

Toru Kumon elaborou problemas de cálculo em folhas soltas de papel para Takeshi, e os materiais que ele criou a partir de 1955 tornaram-se o protótipo do material didático de hoje. Takeshi desenvolveu rapidamente a capacidade por meio do material criado pelo pai estudando meia hora todos os dias. Como resultado, ele foi capaz de atingir o nível de cálculo diferencial e integral poucos meses após ingressar na sexta série.

Depois do sucesso com Takeshi, Toru Kumon convidou algumas crianças do bairro para estudar em sua casa, orientando-os de forma semelhante ao modo como ele havia instruído Takeshi. Em 1958, abriu a primeira unidade do Kumon.

AQUI VOCÊ PODE CONFIAR! Este NÃO é um publieditorial. São dicas jornalísticas apuradas pelo São Paulo para Crianças.
Quer receber mais notícias como essa? Cadastre-se e receba nossas novidades em seu e-mail!
Compartilhar:
APRENDER
Por que aprender outro idioma na infância?
publicado em 21/12/2016
APRENDER
Ballet em família: aulas para Mães, pais e seus bebês
publicado em 10/12/2016
APRENDER
Minuto Educação: canal online dá dicas de educação para alunos, pais e professores
publicado em 10/12/2016
Quer falar diretamente com seu público-alvo?
Anuncie aqui!
Nossos canais:
® São Paulo para Crianças é uma marca registrada. Todos os direitos reservados. - desenvolvido por Ideia74
Cadastre-se para ficar por dentro das novidades!