compartilhe

São Paulo: o lugar que de primeira te assusta mas logo em seguida te acolhe

Por Raysla Rendeiro - em 10/12/18

 

Oi gente! Para quem não me conhece (é lógico que você não me conhece, iria me conhecer como?! Rs) Me chamo Raysla, tenho 24 anos, sou paraense, ah! Belém… Como amo minha terra. Moro em São Paulo, sou nova por aqui, vivo dentro dessa imensidão de cidade durante 2 anos. Tenho hoje em dia uma relação de gratidão por ela. Quem lê isso nem imagina como foi o começo de tudo. Entre idas e vindas eu costumo pensar que essa cidade me escolheu e me acolheu.

Morei durante anos em Goiás e nunca pensei que tão cedo iria sair de lá… Minha primeira visita por aqui foi assustadora, cheguei durante a semana em horário de pico, nunca tinha visto tantos carros juntos e parados na marginal, resultado? Claustrofobia instantânea é claro! Fiquei sem ar do começo ao fim. Suei frio e pensava o tempo todo que iria me perder, sentia medo ou melhor, sentia pavor daqui. E esse tanto de prédio alto? Pra que tanta moto em um espaço tão apertado entre os carros? Não sabia que isso era fisicamente possível, quanta buzina!! Enfim… Que exagero, né?! Fala isso para uma menina que de Belém, foi direto para o Goiás e do Goiás foi direto para o mundo? Pois bem meus amigos…

Entre estações de trem, metrô, ônibus, paradas erradas e muita raiva, morria de medo de me perder e adivinhem? Me perdi inúmeras vezes nesse lugar e o melhor de tudo, sobrevivi e me encontrei!!! Graças a Deus, ou melhor, graças ao Google Maps, ao Uber (quem inventou esse Uber, olha! Ta de parabéns!), graças ao tiozinho da banca de jornal, ao guardinha carrancudo da estação, eles acabaram me ajudando nessa busca de sobrevivência. Ufa! Vamos fazer um combinado? Vamos deixar aqui só as histórias engraçadas, as lembranças que se tornaram boas! Até o momento tá ótimo! Rs! Quem sabe em um outro momento conto os dramas e os momentos em que essa cidade CHEIA de gente, para todos os lados, me trouxe tanta solidão, me trouxe um imenso vazio… Cidade grande tem dessas coisas, né?!

Mas aprendi que em meio a tudo isso nós NUNCA estamos sozinhos, nunca. Essa certeza me trouxe muito alento, demorou para essa certeza chegar mas chegou. Que coisa boa de sentir, né?! (Tenho mania de falar “né?!” ). Rs!

Isso tudo acima foi um breve resumo do susto que São Paulo me trouxe. Para a nossa melhor convivência no dia a dia, eu e ela fizemos um trato, eu prometi que vou olhar sempre o lado bom de tudo que me acontecer, e ela me prometeu que sempre vai me mostrar o que tem de melhor para oferecer. Seu lindo pôr do sol entre os prédios que antes me causava tanto medo, hoje me brilham os olhos, quantos lugares lindos… Quantos lugares bons! Ela tem me mostrado tanto que a partir desse trato que fizemos quero dividir tudo isso com vocês também!

Eu convido você que é mãe, pai, tia, avó, filha, filho, vamos embarcar nessa viagem juntos? Quero fazer desse espaço aqui um lugar para falarmos de diversas coisas boas, ajudas, dicas e como é essa experiência louca de viver em São Paulo.

#partiu

Ah, tenho mania também de usar essas gírias, as hashtags! Acho cool!

Galeria:
Compartilhar:
Quer falar diretamente com seu público-alvo?
Anuncie aqui!
Nossos canais:
® São Paulo para Crianças é uma marca registrada. Todos os direitos reservados. - desenvolvido por Ideia74
Cadastre-se para ficar por dentro das novidades!