compartilhe

Amamentação: um momento de sintonia entre mãe e bebê

Por Andressa Bortolasso - publicado em 02/08/2018

Dedos de mãe e filho entrelaçados, olho no olho, respiração ao mesmo ritmo, como uma dança, a dança do amamentar! Uma explosão de ocitocina e uma completa harmonia toma conta desse momento único que é a amamentação! É sim, amamentar é estar em conexão! Mas, não para todas as mulheres!

Essa sempre foi a pergunta que mais fiz em 18 anos de trabalho com amamentação: Por que para algumas mamães a amamentação é mais sofrimento do que alegria? Não deveria ser assim, afinal de contas somo mamíferos.

Vou responder essa pergunta e que também está extremamente bem explicada no meu livro Sintonia de Mãe, publicado pela Luz da Serra Editora, que tem o objetivo de ajudar as mamães nessa arte da doação. Lá também eu conto minha experiência e como ajudei milhares de mãe alcançarem essa conexão.

Foi em busca de respostas que aprofundei no tema amamentação. Acredito que eu tenha encontrado essas respostas, especialmente depois que me tornei mãe.. Em nenhum momento eu tive problemas com amamentação. Pareciamos que estávamos em uma perfeita sintonia! Eureca! A sintonia! Era essa a resposta que eu procurava.

Antes de ser mãe, eu acreditava que essa sintonia se dava por meio da amamentação, mas depois eu percebi que vai muito além disso. Na verdade, é só através dessa sintonia que a amamentação se torna possível, como se fosse apenas sua manifestação no plano físico.

Vamos lá, vou explicar tudo isso direitinho!

Uma mamãe nervosa, estressada, cansada e insegura, pode ter dificuldades de entrar nessa sintonia. Além disso, muitas pessoas ao redor, dizendo o que você tem que fazer e o que você não pode fazer. Como consequência, vem os problemas como falta de leite, dor, dificuldades com a pega. Mãe e filho não se encontram, não se descobrem. A chegada do bebê tem se tornado muito tensa entre as famílias.

Amamentar sim já foi um ato instintivo.  A verdade é que em meio a tudo isso, não há espaço para nos concentrarmos no bebê. Não confiamos nas respostas que estão e sempre estiveram dentro de nós. Porque o estresse, a ansiedade, os palpites acabam por sufocar nosso instinto.

E acabamos literalmente “travando” a amamentação.

Especialistas vêm descobrindo detalhes fascinantes sobre essa conexão mãe-bebê. E descobriu-se uma grande responsável por essa forte ligação: a ocitocina!

A ocitocina, considerada pelos cientistas como o hormônio do amor, circunda o corpo da mãe ainda durante a gestação.  Esse hormônio que ajuda a despertar a Mãe que existe dentro de você!

Pesquisas recentes e bem sérias realizadas com animais sugerem que esse hormônio tem papel fundamental em uma série de comportamentos sociais, desde a criação dos filhos, formação de relacionamentos duradouros. Interfere em nossa capacidade de amar, amar a nós mesmos, ao próximo e até mesmo o amor a Mãe Natureza.

Resumindo, quando a ocitocina circula pelo corpo da recém-mamãe é como se o amor, literalmente tivesse correndo em suas veias.

O fato é que, a ocitocina também é o mesmo hormônio responsável pela descida do leite materno. E quando uma mãe se sente observada  está  insegura, seus instintos primários vão fazer com que ela desencadeie mecanismos físicos e emocionais para ´proteger sua cria’, ativando a ação primitiva: correr ou lutar.

E nesse sentido a ocitocina não é liberada, ou sua liberação é muito prejudicada, porque teoricamente não é seguro amamentar agora, entende? Acontece o que chamamos de Trava Cortical e consequentemente desencadeia os problemas com a amamentação.

Mas a pergunta é como destravar essa tal Trava Cortical?

Sei que não é tão fácil ficar em estado meditativo logo depois do parto…

E nem é preciso isso!  Vou te dar 3 dicas práticas e outras você encontra no livro “Sintonia de Mãe.

Primeiro, prepare-se! É bom você já entender as dificuldades que podem aparecer e se munir para enfrentá-las. Dessa forma, você se sentirá muito mais segura e imune aos palpiteiros de plantão.

Segundo, crie seu Cantinho de Amamentação. Escolha com atenção e carinho sua poltrona para amamentação e desde a gestação sente-se lá sempre que puder, ancore a energia da amamentação, pense em seu bebê… Esse cantinho é como se fosse seu santuário de amamentação.

E por fim, enquanto estiver amamentando, use seus sentidos. Olhe seu filho, sinta seu cheirinho, toque sua pele, ouça seus sons, o barulhinho da mamada. Viva o momento presente. Evite ficar no celular, ou na frente da tv. Essa prática libera 10x mais ocitocina no sangue do que a ocitocina sintética em spray que as mães costumam usar para descer o leite!

Com essas dicas você já pode começar agora a entrar no mundo da Sintonia de Mãe.


Gostou e quer saber mais sobre o tema? Então vale a pena ler o livro “Sintonia de Mãe”, da Dra. Andressa Bortolasso.  Compre aqui seu exemplar!! 

Sobre Andressa Bortolasso:
Andressa Bortolasso é odontopediatra, especialista em aleitamento materno, consultora do sono materno-infantil e Educadora Perinatal. Natural da cidade de Socorro, interior de São Paulo, a autora é casada e mãe de dois meninos, o Felipe (de 13 anos) e o Pedro (de 11 anos). Adora ser mãe! Criadora do método Sintonia de Mãe, Andressa acredita que a conexão entre mãe e bebê é fundamental para a construção de um mundo melhor!


Quer receber mais artigos como esse? Cadastre-se e receba nossas novidades em seu e-mail!
Sobre o Andressa Bortolasso:
Andressa Bortolasso é odontopediatra, especialista em aleitamento materno, consultora do sono materno-infantil e Educadora Perinatal. Natural da cidade de Socorro, interior de São Paulo, a autora é casada e mãe de dois meninos, o Felipe (de 13 anos) e o Pedro (de 11 anos). Adora ser mãe! Criadora do método Sintonia de Mãe, Andressa acredita que a conexão entre mãe e bebê é fundamental para a construção de um mundo melhor!


Compartilhar:
Quer falar diretamente com seu público-alvo?
Anuncie aqui!
Nossos canais:
® São Paulo para Crianças é uma marca registrada. Todos os direitos reservados. - desenvolvido por Ideia74
Cadastre-se para ficar por dentro das novidades!